caópolis.


Sara e Hugo
25/07/2010, 18:51
Filed under: Ambigramas | Tags: , , , , , ,

Mais um ambigrama meu tatuado em alguém. O ambigrama original era o seguinte:

Mas Sara, que pediu o ambigrama, quando decidiu tatuar, algum tempo depois de ter recebido a imagem, pediu-me para fazer uma versão mais legal. E eu fiz, ei-la abaixo:

Ela gostou bastante, e então tatuou no dia seguinte. A tatuagem está no pé dela, perto do calcanhar, e com tamanho bastante reduzido. O que explica, em parte, a perda de qualidade do ambigrama.

É provável que eu venha a mencionar essa Sara ainda algumas vezes, pois ela é a autora da encomenda do desenho interessante que mencionei no post anterior…

Anúncios


Festival de Arte da UFPE
17/05/2010, 18:44
Filed under: Artes Visuais, Geral

Fui selecionado para expor no Festival de Artes da UFPE! Inscrevi, e selecionaram, a série Beleza Interior, a obra Anatomia de um Coelho, e uma obra inédita chamada “Metamorfose?”, que na verdade é um “remake” de Retrato de Jan Svankmajer, só que comigo no lugar de Svankmajer, e um ambigrama no estilo de Negro/Branco (só que infinitamente mais legível) com as palavras Louco/Gênio (só fui perceber que é um pouco arrogante depois de ter feito, então deixa para lá xP). Devo postar essa obra aqui depois do fim do Festival, para não estragar a surpresa (embora nem seja uma surpresa tão grande, já descrevi a obra toda xD…). Ah, sim e é bem grande… Foi inclusive o motivo de eu fazê-la, afinal Retrato de Jan Svankmajer é bem pequena, pequena demais para sua qualidade =P…

Desta vez haverá premiação, que ainda não está muito bem definida, mas todas as possibilidades de prêmio que ouvi falar pareceram bem interessantes…

Graças a uma fenomenal falta de organização, a exposição dos selecionados na área de Artes Visuais está longe de terminar de ser montada, mas meus trabalhos, pelo menos, já estão por lá (faltam só etiquetas com os nomes das obras e tudo o mais, que me garantiram que seriam providenciadas em breve), podem conferir no Hall do Centro de Convenções da UFPE, até essa sexta, dia 21.

Quem não foi para minha exposição ano passado, esta é a hora de se redimir U.u… Hahahsahusa, que nada, fiquem à vontade para ir ou não… Este blog existe justamente para isso, para que eu não dependa de exposições para que conheçam meu trabalho… Mas claro que tem umas obras que são bem mais legais pessoalmente, como a do Coelho e as que mudam de aparência com os óculos azuis… De qualquer forma, estão todos convidados!  Tudo no festival é gratuito (exceto comida e bebida, provavelmente =P), haverá vários shows e oficinas, além de outras exposições de convidados. Nos vemos por lá!



Conflito Interno
15/05/2010, 14:25
Filed under: Artes Visuais, Desenhos e Pinturas

Um colega meu de faculdade, Adailson, é guitarrista de uma banda chamada Sexto Elemento (aqui o perfil da banda no orkut, a comunidade no orkut, o perfil no myspace e o perfil no Palco MP3), e me pediu para fazer a capa para o novo CD deles, “Conflito Interno”… O resultado “semi-final” (Adailson vai fazer algumas alterações depois), para a parte da frente do CD foi este:

Como não me sinto bem cobrando a amigos/colegas/parentes, pedi como pagamento apenas uma cópia do CD quando sair, e a possibilidade de algum dia, em breve ou não, se não fosse muito incômodo, ensaiar e gravar uma música com eles xP… Acho que não devo ter comentado aqui que não canto mal (não só na opinião da minha mãe xD, já mostrei para outras pessoas e concordaram com ela =P). Como ele nem relutou em aceitar o acordo, então creio que não deve achar que sou tão ruim também :D…

Abaixo está a ilustração antes dos efeitos todos.

Quando sair o CD devo fazer outro post com fotos dele na versão final, que mal posso esperar pra ter =P, até porque curti o som dos caras (e Adailson ainda disse que as músicas que estão no Palco MP3 – que foram as que eu ouvi – são antigas, e que hoje a banda está melhor, e com outra formação inclusive…).

P.S.: A versão final da capa já foi definida. Os efeitos todos foram aplicados por Adailson.

Frente:

Verso:

Uma versão “caseira” do CD já saiu, e eu tenho um exemplar dela, mas ainda estou esperando a versão gravada em estúdio para maiores comentários sobre a banda =P…



Enigmática
18/04/2010, 22:05
Filed under: Ambigramas | Tags: , , ,

Está ficando sério. Estes são oficialmente os primeiros ambigramas que cobrei para fazer. São para a recém-criada empresa Enigmática Tecnologia (o site provavelmente ainda está em construção), do carioca Marcelo Carneiro.

Este segundo tem uma peculiaridade. Eu juro que o círculo está girando no mesmo sentido do ambigrama (horário), mas ele só parece estar girando para o outro lado. A única maneira de ver o real sentido é se concentrar em alguma parte do logo que contenha um pedaço do ambigrama e um pedaço do círculo, e observar essa parte enquanto ela gira, só assim dá pra ver que gira no sentido horário. É um efeito completamente acidental…. e enigmático :D…

Estes ambigramas são os marcos de uma nova fase, uma fase da qual vocês não vão gostar… A partir de agora, não farei ambigramas de graça. O preço, logicamente, dependerá do ambigrama (da dificuldade, da qualidade com que eu conseguir fazer, etc…), mas não creio que ultrapassará o teto de 100 reais, nem o piso de 20. Acho que abrirei exceções para uso acadêmico (como quando um professor de artes me pediu vários ambigramas para ministrar uma aula sobre o assunto), caso no qual farei os ambigramas de graça, ou por um preço muito baixo.



A Primeira de Muitas?
31/03/2010, 22:59
Filed under: Ambigramas | Tags: , , , , ,

A maioria dos ambigramas que me pedem têm um objetivo certo: virar tatuagem. Várias pessoas me dizem que me mostrarão fotos quando tatuarem, e eu realmente me interesso em ver, mas só agora uma delas de fato mostrou as fotos… Não sei o nome dela, mas acho que o apelido é “Meul”, ela tatuou o ambigrama “Miguel\Adriana”:



An Offer He Can’t Refuse

An Offer He Can't Refuse

A idéia é antiga, tive mais ou menos na época dos meus primeiros ambigramas neste estilo, mas eu não conseguia fazer de jeito nenhum. Eu não havia encontrado uma foto de Marlon Brando como Don Vito Corleone que ajudasse no processo, além de que acho que na época eu estava tentando usar a frase inteira (“I’m gonna make him an offer he can’t refuse”), então desisti (o que prova que, apesar das aparências – afinal a impressão que causa é que dá para encaixar qualquer frase em qualquer rosto fazendo as devidas deformações – este tipo de ambigrama é beeem difícil… e dentre as poucas vezes em que consegue ser terminado, só algumas poucas ficam realmente boas… No meu caso, por exemplo, acho que o único perfeito que fiz foi o “Why So Serious?“) . Mas ontem algo me fez lembrar da idéia, e miraculosamente achei uma foto perfeita, cheia de sombras, e fiz um esboço que hoje, quase agora, virou a imagem que acabei de mostrar.

Há algo nesse tipo de ambigrama que me compele a abordar apenas a cultura cinematográfica… Preciso mudar os temas, para algo mais artístico, crítico, alternativo e essas coisas todas.



Como Fazer Ambigramas (Parte 2)
20/03/2010, 21:36
Filed under: Ambigramas | Tags: , ,

Oh, yeah, baby, demorou mas chegou. Eis a esperada segunda parte do meu humilde guia sobre como fazer ambigramas. A essa altura quem  leu a primeira parte já cansou de esperar e já aprendeu tudo sozinho na prática, mas ainda assim continuarei o tutorial para atender aos que começarem agora…

LIÇÃO II – Quando o ambigrama parece impossível…

Vocês devem ter notado, seja observando atentamente ambigramas dos outros ou tentando fazer seus próprios, que nem sempre dá para transformar 1 letra em exatamente 1 outra letra. Quase sempre porque a quantidade de letras das duas palavras é diferente, mas muitas vezes o problema é impossibilidade pura e simples, como no caso de fazer um “i” parecer um “m” quando girar ou refletir (a solução seria envolver pedaços de outras letras no processo). E, assim como em toda situação problemática que não pode ser resolvida por equações matemáticas, a saída é usar a criatividade.

Claro que ninguém pode ensinar criatividade a ninguém, ela não é uma forma conhecimento, mas sim a manipulação eficiente de conhecimentos. Alguns manipulam melhor, outros pior. Mas o fato é que para ser criativo em qualquer área, é preciso possuir informações dessa área, elas são o “combustível” da criatividade. É impossível ser um programador criativo sem saber nada de programação, por exemplo. Então quais são as informações, os conhecimentos, que servem para “alimentar” a criatividade na criação de ambigramas mais complexos? A resposta é tão óbvia que sinto estar só enrolando vocês nestes parágrafos inciais: conhecimentos sobre letras.

Não entrem em pânico, não procurem livros sobre caligrafia ou tipografia (por enquanto..)… Pelo menos no meu caso, a maioria dos conhecimentos tipográficos que tenho foram obtidos… lembrando… Já estavam na minha cabeça, afinal vemos letras de todos os tipos em todos os lugares, mas só lembrei ao precisar dessas informações para resolver algum problema durante a criação de um ambigrama. O exemplo mais comum é lembrar que determinada letra pode ser representada de outra forma, que se encaixaria melhor no ambigrama em questão. Em suma, para ter criatividade com ambigramas, e consequentemente resolver problemas como o de transformar x letras em y letras, é preciso ter intimidade com as letras, suas formas, suas possibilidades, do que precisam para serem indentificáveis, etc…

Resumindo, para resolver problemas de ambigramas é preciso ter criatividade com ambigramas, e para ter essa criatividade é preciso conhecer bem as letras, e para conhecer bem essas letras basta praticar ambigramas, e tudo isso significa, basicamente, a boa e velha máxima “a prática leva à perfeição”.

Além de conhecer as letras, ajuda bastante observar outros ambigramas, ver como cada letra foi transformada em outra, algumas vezes usando de artifícios que você não conhece, mas nada que gaste muito do seu tempo. Ambigramas são hobby, ou, no máximo, com certo senso de empreendedorismo, uma fonte de renda alternativa, mas nada que lhe faça gastar mais tempo e esforço do que você gostaria de gastar. Não estude ambigramas como se fosse uma matéria escolar… Aprenda com a experiência, a observação e a  diversão, só.

Não há muito mais a se dizer sobre a “idealização” de ambigramas (exceto se eu decidir me aprofundar em conceitos tipográficos que só ouço falar, como legibilidade, homogeneidade, e outras coisas que acredito estar aplicando intuitivamente e espero que vocês tenham a sagacidade de fazer o mesmo). Por isso, na próxima lição, vou começar a falar sobre os aspectos da “finalização” de um ambigrama… Ou seja, vetorização, aproveitamento de pedaços de letras de fontes existentes, etc.

————————-

Veja aqui a parte 1.