caópolis.


Ser e não ser, eis a resposta
12/09/2010, 10:16
Filed under: Poemas | Tags:

Mentir é essencial para sobreviver à vida
Embora ela deixe de ser vida quando se mente
Viver torna-se uma experiência extracorpórea

Lavo minhas mãos
Do sangue do qual estão encharcadas
Não é de minha responsabilidade
Nada do que acabei de fazer

Não sei por que estou fazendo isto
Não sei por que não fiz isto antes

Porque agora
Um delicioso caos
Está infestando minha realidade
Prédios de vapor são só o que resta
E uma moeda

Bem e mal
Eis a moeda

Lanço-a e lanço-a
Por não saber qual escolher
Viver torna-se uma experiência aleatória

Eis-me apunhalando quem mais amo
Eis-me beijando os pés de quem odeio
Eis-me mentindo para mim mesmo
E acreditando

E minhas mentiras tornam-se verdades
E minhas verdades sempre foram mentiras
Viver torna-se uma experiência contraditória

E também o é minha confissão
Estou mentindo verdades
Não acredite em mim
Não sou mais eu mesmo
Sou eu mesmo enfim

Anúncios

Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: