caópolis.


Partida
31/05/2009, 22:07
Filed under: Desenhos e Pinturas | Tags: , , , , , , ,

Partida

Guache e lápis de cor sobre tela.

Não há ilusão de ótica intencional nesta pintura, são só duas cabeças num tabuleiro de xadrez. De certa forma, contudo, acaba sendo uma ilusão de ótica, se tomarmos como seu conceito “enganar visualmente”, pois esta obra engana visualmente ao fazer o observador se sentir enganado sem que haja enganação alguma =P.

Anúncios


Esclarecimentos
31/05/2009, 21:37
Filed under: Geral

Pra quem pegou o bonde andando, este blog é uma tentativa de reconstrução do antigo http://caopolis.brogui.com, que saiu do ar devido a um grave problema com o serviço BroguiBlogs de criação de blogs. Estou avisando porque alguém pode estranhar o fato de haver uns 30 posts publicados somente no dia de hoje, e também podem estranhar a maneira apressada como publiquei, por exemplo, os ambigramas. É que não consegui restaurar o backup do blog antigo, então tive que refazer tudo manualmente.

Como era óbvio que eu não iria conseguir reproduzir tudo igualzinho, acabei foi fazendo tudo diferente. Há posts no início falando sobre desenhos dos quais eu não havia falado no blog antigo. Há desenhos que foram publicados no outro blog, mas os comentários agora estão substancialmente diferentes, contendo algumas curiosidades inclusive… A ordem dos poemas está diferente… Há, também, desenhos, poemas e ambigramas novos… Ou seja, mesmo pra quem já conhecia o antigo Caópolis (Arthur xP), recomendo dar uma olhada geral pelo novo blog.



A Angústia de João
31/05/2009, 21:27
Filed under: Poemas | Tags: ,

João, prezado amigo
Que fazes com essa mão?
Por que arranhas e bates, João
O belo tampo de teu caixão?

Por que gastas tuas unhas, irmão?
O sangue, teu precioso sangue
Todo borrifado pelo chão
Descansa essa maldita mão, João!

Deixa que o tempo faça o que faz
Para que tanta angústia, rapaz?
A vida é um sopro, recebe-o em teu rosto
E deixa que vá quando tiver que ir

Tua vida não foi completa?
E qual foi?
E como a tua seria?
E como alguma poderia ser?

Pare de gritar, João!
Lembras do que falei
Sobre a vida ser um sopro?
Pois é, tu só o estás pondo para fora em vão
E ninguém há de te ouvir!

Ou hão, e serás famoso
O homem que saiu do caixão!
Tu viverias melhor então, João?
Ou não terias aprendido a lição?

Negas a pobre morte
Enquanto ela te aceita de braços abertos
Como uma mãe que reencontra o filho

Nascestes para este caixão, João
Não adianta dizer que não
E agora nele estás
Então que nele fiques
Em plena resignação



Ambigramas 4
31/05/2009, 21:22
Filed under: Ambigramas | Tags: , ,

Mais alguns Ambigramas de Rotação.



Entre Hipnos e Tânatos
31/05/2009, 21:18
Filed under: Poemas | Tags: , , ,

Meus olhos se umedecem
A dor é tremenda
Meus lábios se emudecem
Grito algum aliviará minha dor
Grito algum irá acordá-lo

Eu limpo os olhos
E não me surpreendo
Em ver que choram sangue

Viver tornou-se um pesadelo
Então, quem sabe, ele é que está acordado
Viver tornou-se uma prisão
Então, quem sabe, ele é que está livre

As finas teias do amor
Sobrevivem entrelaçadas
Às fortes cordas da esperança

Mas as chamas perversas do tempo…

Tempo, ele tinha tanto pela frente…

Somente o tempo dirá agora…

——————————-

Este é para uma amiga minha, cujo namorado entrou em coma há alguns meses atrás. Os irmãos Hipnos e Tânatos são, respectivamente, os deuses do sono e da morte na mitologia grega.



Âmago
31/05/2009, 20:32
Filed under: Poemas | Tags: ,

A vida é uma semente num viaduto
Uma gota de esperança num mar de sangue

Sentimentos que não afloram
Flores que não desabrocham
Broches cravados na pele, dizendo quem somos:
Homossexuais hermafroditas, auto-copulando

Quebrando todos os ócios
Ao cair no abismo de pessoas
Uma semente que não germina
Uma ave que não voa

A vida era um viaduto nascido de uma semente
Uma ponte entre dois pontos
Agora é inércia
Em alta velocidade



Ambigramas 3
31/05/2009, 19:56
Filed under: Ambigramas | Tags: , ,

E agora, uma novidade para quem já viu o blog antigo, os “Ambigramas de Reflexão” que fiz. Nesta modalidade, as duas ou mais leituras se efetuam usando-se um espelho (ou invertendo a imagem horizontalmente em algum programa de edição de imagem). Nos ambigramas abaixo eu pus as duas leituras possíveis (ou uma, quando simétrica) para cada ambigrama.